Vaginose Bacteriana

Vaginose Bacteriana – Estou com Corrimento Vaginal. E Agora?

Vaginose Bacteriana
Vaginose Bacteriana

 

Para identificar se sofre com a vaginose bacteriana, é muito simples, basta um exame especular na vagina, onde é observado o corrimento e ainda ouvido as reclamações da paciente.

Geralmente esse corrimento não representa uma quantidade muito grande, no entanto, pode ser facilmente reconhecido devido a cor, amarelado ou esverdeado e também pelo odor de peixe podre que exala.

Ocorre principalmente durante o período pré-menstrual ou após contato íntimo.

 

Diagnóstico da Vaginose Bacteriana

 

Vaginose Bacteriana
Vaginose Bacteriana

 

Para ter certeza a respeito do diagnóstico é preciso levar em consideração os seguintes itens:

 

  • Existência de corrimento com odor de peixe podre;
  • Evidência de células epiteliais com clue-cells evidenciados no exame bacteriológico;
  • No exame Whiff positivo deve-se adicionar duas gotas de KOH a pelo menos 10{65214dba8ef2d7664c8ce5e308d81615b72e9dc65edb3e515df4ed6f4f8cf98b} do líquido retirado do interior da vagina para destacar o cheiro.

 

Ao constatar que a paciente contraiu a vaginose bacteriana o médico entrará com os devidos tratamentos que são baseados em antibióticos.

O tratamento poderá ser feito com remédios em dose única ou em doses diárias que podem variar de três a sete dias.

Um dado extremamente importante que a mulher precisa ter consciência é do tratamento do corrimento.

Caso haja algum indício, nada melhor do que consultar um médico em vez da automedicação.

A vaginose bacteriana pode abrir portas para uma série de contaminações virais mais facilmente, como por exemplo: Aids entre outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).